Aulas Regulares

Vinyasa Flow Yoga

O Vinyasa flow pode ser chamado de:

– Yoga Flow

– Vinyasa Flow

– Hatha Vinyasa Flow

– Hatha Vinyasa

 

Vi:  significa – de forma especial

Nyasa:  significa – colocar

Krama Vinyasa: colocar de uma maneira especial (estágios)

 

O Vinyasa Flow um estilo de yoga que praticamos aqui no Studio derivado do Ashtanga Vinyasa ( estilo de yoga antigo desenvolvido no sul da Índia, do texto Yoga Korunta, com a base no Hatha Yoga e Krama Vinyasa que Krishnamacharya(Tirumalai Krishnamacharya (1888-1989) foi provavelmente o yogi contemporâneo que mais influenciou o Hatha Yoga atual. Krishnamacharya tornou-se famoso, sobretudo, pelos seus discípulos, entre os quais se contam Indra Devi, Pattabhi Jois, Iyengar, Desikachar e AG Mohan.)) usava, a diferença é que ele não tem as séries fixas do ashtanga yoga, possui mais liberdade de criar durante as posturas e deixar fluir (flow), podemos elaborar passagens e sequências de posturas conforme o coração deseje, as únicas posturas que estão sempre presentes são normalmente três que servem de passagens para as demais, são elas, chaturanga (postura da prancha) , chaturanga dandasana (postura da prancha baixa) e bhujangasana (cobra) ou urdhva mukha svanasana (cachorro olhando para cima). O deixar fluir é essencial para nós pois as raízes Tantra (Tantra Hatha Yoga, Vijnanabhaïrava Tantra & Spandakarika) são fundamentais no nosso yoga tântrico.

Na década de 70 nos U.S.A o estilo se firmou como é hoje ensinado nos estúdios de yoga. A base é a mesma, fazemos o surya namaskar, a famosa sequência de ásanas(posturas psico-físicas do yoga) que também chamamos Saudação ao Sol,( esta série de exercícios funciona como uma preparação para o resto da prática de ásana, sem ser exatamente um aquecimento. Consiste em um grupo de movimentos que se fazem associados à respiração sussurrante, ujjayí pránáyáma. Ao mesmo tempo, se deve manter a contração da parte inferior do abdômen, em uma variação sutil do udiyana bandha, somada à contração dos esfíncteres, múla bandha, e aos drishtis, as fixações oculares.)

e a partir dalí criamos as sequências  que acharmos convenientes no dia, observando os alunos e através desta observação, criamos os movimentos na hora, conforme as necessidades da classe. O corpo e a mente entram no ritmo da respiração consciente profunda e completa e assim percebemos aos poucos que estamos mergulhados em nós mesmos, que tudo se encaixa, que somos Um com o universo. E se somos um com o universo não há diferença entre eu e você. Somos tocados por um estado de bem maior, benevolência e paz interior, estado de graça e contentamento, o calor interno proporcionado pelos ásanas e pelo pranayama  Ujjayi não aquecem não só o corpo, mas aquecem principalmente nossa alma que é confortada.

 

A prática é bem completa pois possui um aquietamento inicial onde estabelecemos uma intenção com nós mesmos, um objetivo a ser seguido que chamamos no yoga de Sankalpa ( a resolução). Após este momento entoamos um mantra e executamos um pranayama muitas vezes antes da Saudação ao sol e suas variações no flow. Em seguida partimos para o treino de ásanas musculares, equilíbrio, retroflexões, para que nossa coluna e corpo entrem em sintonia com a respiração e as mudanças aconteçam efetivamente. Após as retroflexões há um momento de aquietamento onde permitimos que nosso corpo assimile os benefícios do yoga até aquele momento. É chegado o momento das posturas invertidas, treinamento de passagens mais avançadas na prática, o momento de você partir para mais uma quebra de bloqueios, momento de vc vivenciar a desconstrução e a revolução interna, o momento do enfrentamento, o momento da superação, hora das invertidas do yoga, a hora de ver o mundo de outra maneira. Depois deste majestoso momento, vem o relaxamento, permitindo que seu corpo físico assimile os benefícios da prática, assim como observar os efeitos na sua mente e no seu energético, o momento do Yoganidra (sono do yogi) . Nossa prática está chegando ao fim, após o relaxamento é necessário mais uma vez sentar e postar as mãos em prece, ou em shiva mudrá (mãos em meditação com ambas as palmas voltadas para cima, uma sobre a outra descansando sobre aos pernas. Hora de observar-se e focar em um objeto, imagem, símbolo, silenciando totalmente . Entoando o mantra Om e agradecendo a prática com nossas mãos em prece, cabeça baixa em direção ao coração e dizendo todos juntos:

Jaya Ma ! (Salve a Mãe! A Deusa Mãe criadora deste universo!)

Saímos da prática com um profundo bem estar.

Venha experimentar!

Pergunta que sempre ouvimos : Mas eu posso praticar Vinyasa Flow se nunca o fiz anteriormente?

Resposta : Se você não possui nenhum tipo de advertência médica, sim você pode e deve começar a praticar, pois a evolução dentro da prática só depende de vc mesmo, através de comprometimento e muita dedicação.

Por que deveríamos praticar Vinyasa Flow:

A prática de Vinyasa Flow é intensa e exige do aluno foco, entrega, dedicação e vontade de superar seus limites, confrontar seus medos e mergulhar no oceano de seu interior. Os benefícios físicos e mentais eu deixo para você mesmo me contar depois de um mês de prática, pois são inúmeros, e demoraria tanto tempo para você ler que eu prefiro que comece a praticar, mas deixo para vc aquilo que já percebemos nas primeiras aulas, aumento de foco, melhora na qualidade do sono, sentimento de paz e alegria, aumento do tônus muscular, ampliação da capacidade pulmonar e alongamento, isto é só o começo, tem que começar a praticar, afinal Yoga é 99 por cento prática e 10 por cento teoria como já dizia Sri Krishna Pattabhi Jois.