Deeksha

Deeksha – A iniciação Tântrica ao Yoga da Mãe Divina

Deeksha é uma palavra sânscrita que significa transmissão de conhecimento através da energia divina, também chamado de deeksa, ou diksha. A palavra deriva-se dos termos sânscritos dā (“dar”) mais kṣi (“destruir”) ou, alternativamente, a partir da raiz do verbo dīkṣ (“consagrar”). Mas também pode ser entendida como “aquilo que destrói a ilusão e revela a divindade interior”. A experiência de iniciação é relatada em diferentes textos considerados sagrados, não apenas no universo do tantrismo, como também no Budismo, Jainismo, Vaishnavismo .

Meu objetivo principal , é o de oferecer os ensinamentos secretos e sagrados de Mestre à discípulo através da transmissão da deeksha tântrica tal qual era feita pelos Gurus de nossa linhagem . Fui tocada pelo amor de minha Guru Anandamayi e é através dela que nosso ritual acontece.

Sri Anandamayi Maa

O primeiro contato ou melhor, a primeira vez que ouvi falar de Anandamayi foi através do livro de Paramahansa Yogananda. Fiquei extremamente fascinada e tocada com sua doçura e beleza. Algo me atraía à ela, ainda não sabia exatamente o porquê de tudo aquilo, mas precisava ir mais a fundo e conhecer a história daquela santa tão linda e especial.
O problema é que nada encontrava, pequenas menções a seu nome e história. Não desisti, resolvi entrar em contato com ela simplesmente através de meditações. Peguei uma foto da doce Maa, colei na parede e me sentava todos os dias a sua frente com olhos colados a ela, olhos nos olhos, até que me entregava no universo de sua doçura. Os insights pequenos aconteciam dia a dia. Não desistia desta conexão tão linda que já me fazia tão bem. Hoje a conexão se faz naturalmente bastando simplesmente fechar os olhos, ou quando ela quiser.

Nirmala Sundari Devi minha doce Maa nasceu em plena Ìndia em 1896 em Kheora leste de Bengala hoje Bangladesh. Com uma beleza tão ímpar e doce que a todos iluminava. Espantou e chocou sua família pois ao nascer Nirmala não chorou, mais tarde ela mesma lembrou o fato sorrindo e dizendo, mas por qual razão eu iria chorar se eu estava olhando as árvores através da ripas da janela…
Era realmente uma criança diferente, pois possuía uma beleza tanto espiritual quanto física impressionante. Mas preocupava a todos pois costumava parar de repente o que estava fazendo e fixar o olhar num ponto específico no espaço por horas a fio. Esta atitude realmente assustava seus pais. Na verdade ninguém entendia Nirmala. Seus pais então contrataram seu casamento, sim era assim e em muitas famílias indianas assim é até hoje. O agraciado homem com certeza se achou o mais feliz do mundo, afinal Nirmala era uma devi encarnada, no caso ele achou isso através de sua beleza aparente, mal sabia ele que afinal ele teria sido agraciado de outra maneira, pois iria passar o resto de seus dias ao lado de uma santa na terra.
Demorou um certo tempo para que Bholanath o marido de Ananda entendesse e se situasse. Ela simplesmente se recusava a fazer sexo com ele. Até que um dia seu marido acordou assustado e presenciou uma cena para ele grotesca pois afinal ele simplesmente não entendia o que se passava com ela. Ela estava executando ásanas (posturas de yoga) e pronunciando mantras que vinham automaticamente a sua mente. Ela mesma se iniciou. Vocês acham que ele entendeu aquilo? Não… Ele simplesmente chamou um exorcista para tirar o demônio do corpo de sua esposa. Pobre homem, afinal nem ele e muito menos ela tinham iniciação religiosa formal e não podiam adivinhar que ela estava simplesmente entrando em estados alterados de consciência naturalmente através da prática de yoga e vocalizando mantras sagrados.
– O que eu sou, sempre fui desde a minha infância – afirmou ela posteriormente. – contudo, diferentes estágios da “sadhana” se manifestaram através deste corpo. A sabedoria foi revelada pouco a pouco; o conhecimento integral foi dividido em partes.
Nirmala já nasceu desperta sem véus de maya a tal ilusão do espelho mágico que mais a frente vocês poderão conhecer melhor nas aulas de formação e aprofundamento em yoga.

Iniciação segundo o próprio Shiva no Mantra – Yoga – Samhita (5)

“ É a raíz da própria vitória. “Ó Deusa! Aquele que é destituído de iniciação pode não ter nenhum sucesso e nenhum destino afortunado. Portanto, deveria se empenhar em buscar iniciação de um mestre qualificado.”

É durante o Ritual de Iniciação que a mente do discípulo e do Mestre tornam-se uma só, e que pela aproximação de ambos , o fenômeno do despertar de Kundalini, a força divina que confere a liberação espiritual, aconteça de maneira espontânea e natural. “ A consciência do Guru é ativada na consciência do discípulo , assim é dada a iniciação que concede a libertação.” Para- Trishikha- Vivarana (p.9) de Abhinava Gupta

Os textos tântricos descrevem diferentes meios de Iniciação, e de maneira diversificada também o tema é compreendido e aplicado pelas diferentes tradições e religiões orientais. Algumas iniciações dão-se através do olhar – Drik Diksha, por toque – Kripá Diksha ou Shakti Pat, através da mente ou dos sonhos – Mano Diksha, através de palavra ou Mantra – Vag Diksha, e ainda existem iniciações que envolvem votos monásticos, renúncia aos bens materiais – Sannyas, celibato – Brahmacharya, batismo, sacrifícios etc.

Quando analisamos a cultura Tântrica detalhadamente, podemos confirmar que esta é uma escola de mistérios, que pouca informação nos é oferecida teoricamente, e que mesmo os sutras, shastras e textos considerados autênticos são escritos de maneira hermética e simbólica. Logo, o Tantra é uma escola espiritual iniciática. E é justamente a iniciação que confere as chaves de interpretação de sua doutrina, bem como o corpo de práticas inerentes a esta escola. Somente ao se passar pela Deeksha, pode o postulante ser admitido dentro da família de Yogis ou Kula.
O termo Kula tem cerca de vinte significados lexicográficos diferentes, sendo os primeiros, grupo, família ou multidão. Tecnicamente Kula refere-se à Realidade definitiva que está além dos princípios transcendentais de Shiva e Shakti. Mas muitas escolas e textos empregam o termo Kula para denotar a (família cósmica), que é o universo manifesto e o poder inerente nele, isto é, Shakti.

Precondições para receber a Deeksha (iniciação)

Quando um aspirante se sentir tocado e quiser efetivamente iniciar a trilha do Yoga tântrico, ele deve mostrar interesse e dedicação, pois é uma mudança muito profunda, exigindo que o discípulo escolha a consciência ao invés do mundo da ilusão e ego. Uma parte integral desta nova vida é a adoção da disciplina espiritual recomendada pelo Mestre. Esta é chamada de sadhana (prática espiritual) segundo os Tantras. Necessário ler os livros recomendados e executar sua sadhana todos os dias. Através deste adhikara (comprometimento) o Mestre chegará e o convidará a fazer parte da Kula (família espiritual).

“Somente a iniciação liberta alguém da servidão extensa que bloqueia a morada suprema e conduz acima para a morada de Shiva. (shaiva-dhãman)15

O processo iniciatório é descrito tipicamente como envolvendo o que é chamado Shakti-pata (literalmente- descida do poder). Esta expressão é um tanto estranha para quem conhece a divina Shakti e sabe que ela é onipresente e não precisa ir a parte alguma, porém é um ponto de vista do indivíduo não liberto ainda. Como assinala o Kula-Arnava-Tantra (4.86),

“por meio de Shakti, a besta (pashu) é transformada em Shiva.

E ainda,:

Ó amado! Tal como o ferro vira ouro quando penetrado pelo mercúrio, assim o Self obtém Shivadade quando é penetrado pela iniciação. Quando os karmas são queimados pelo fogo da iniciação, os grilhões do maya são rompidos. Aquele que está sem semente (kármica)e que obteve a condição suprema de sabedoria se torna Shiva. Mas, ó amado, a recitação, devoção e outros rituais dos não-iniciados não frutificam e são como sementes plantadas na rocha.

No dia da deeksha o aspirante será batizado e receberá um nome espiritual, um mantra pessoal e o primeiro exercício secreto que contendo pranayama, meditação e mantras.

A deeksha na linhagem de Anandamyi é parte integral do Instituto Anandamayi Danny Bellini é necessário ser aluno, seja ao vivo ao à distância para que ela possa avaliar as qualificações necessárias para tal.

Não se exige remuneração somente uma contribuição voluntária para o Shala ser mantido .

Danny Bellini Anandamayi Devi Dasi

(Serva de Anandamayi Maa)

Deeksha